• Rofer Eventos

Embrapa apresenta proposta para intensificar produção pecuária


Pesquisadores da Embrapa Pecuária Sul apresentaram, em Bagé, uma proposta para intensificar a produção pecuária em sistemas integrados com lavoura, de forma sustentável na metade sul do Estado. O trabalho integra o projeto para desenvolvimento da agropecuária gaúcha, uma parceria entre o sistema Farsul (Farsul, Senar-RS e Casa Rural), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e Embrapa, iniciado em 2021, que busca o desenvolvimento da agropecuária gaúcha a partir da produção agrícola em duas safras e a sincronização entre produção agrícola e pecuária.


Durante o evento, o pesquisador da Embrapa Pecuária Sul, Danilo Sant’Anna, apresentou exemplos de propriedades acompanhadas que já estão usando essa intensificação sustentável da pecuária, integrando com sucesso as lavouras nos sistemas de produção. “A pecuária traz inúmeros benefícios ao sistema, como a ciclagem de nutrientes, controle de invasoras na lavoura e fixação de carbono, quando o pasto é bem manejado. A pecuária traz uma estabilidade ao sistema”, destaca.


Segundo o pesquisador e supervisor do Setor de Gestão de Transferência de Tecnologia da Embrapa Pecuária Sul, Daniel Montardo, o objetivo principal é aumentar a capacidade de suporte e produtividade das pastagens, principalmente no período de verão, quando há o cultivo da soja. As ações foram divididas em cinco eixos: rotação de pastos de verão (anuais e perenes) com lavouras de verão; intensificação da produção forrageira dos sistemas pecuários; recuperação de áreas degradadas, principalmente, pelo capim-annoni; conservação de forragens e suplementação estratégica e planejamento forrageiro para ter pasto todo o ano, em sistemas integrados ou somente pecuários.


Para alcançar os objetivos do projeto para a metade Sul, foi proposto um programa de capacitação continuada de técnicos. Como a integração de atividades pecuárias e agrícolas forma uma abordagem mais sistêmica de produção, são necessárias estratégias diferenciadas para capacitação de técnicos. “É preciso capacitar e depois colocar em prática nas propriedades, entendendo o objetivo dos produtores. A partir da capacitação e aplicação dos ensinamentos poderemos presenciar e vivenciar o uso dessas tecnologias e a integração dessas atividades pecuárias e agrícolas de forma sustentável ao longo do tempo”, disse.


Fonte: Jornal do Comercio